terça-feira, janeiro 14

O Gigante acordou, mas foi dar um rolezinho.



Muito se discute sobre o rolezinho, vou pensar alguns pontos sob a meu campo de visão e análise, sem qualquer intenção de que seja uma verdade ou que você compartilhe de minha maneira de enxergar.

Não vejo claramente o Apartheid, nem a segregação (embora tenha acontecido de fato). Vejo pessoas que trabalham em um centro comercial querendo a sua tranquilidade e bens intactos.

Tampouco vejo a intenção da perturbação da ordem publica (embora tenha acontecido de fato), de intenção de arrastão ou de saquear lojas. Vejo jovens tentando se posicionar da forma que sabem, da forma que alguém sugeriu funcionar, na marra, na garra.

O que claramente vejo é o desrespeito de todas as partes envolvidas, a falta de consideração a realidade e paradigmas do outro, a falta de compreensão e sensibilidade em discutir um assunto que vai MUITO além de uma liminar que proíbe ou não proíbe uma ação.



Senhores, ainda não vi ninguém por essa rede social azul e branca perguntando os motivos, razões, frustrações ou soma de acontecimentos históricos que levaram esses jovens a buscar ATENÇÃO, e quem deveria dar atenção, não está com grandes preocupações, vai esperar que desande de vez, porque é assim que funciona.

Enquanto isso, não vamos nos perguntar como vai a escola e o hospital de quem esta no rolezinho, não vamos perguntar sob quais condições sociais estao vivendo os adolescentes arruaceiros do rolezinho, vamos deixar que eles invadam um local onde famílias, e trabalhadores realizam suas funções enquanto família e trabalhadores, porque segregar é feio, é bruto, é ruim, é apartheid.

Não vamos nos perguntar porque o policial é truculento, agressivo e parece estar lidando com uma manada de Bufalos. Falta de preparo? Treinamento? Não está feliz no que esta fazendo? Tem medo? Tem pressa?

Não vamos nos perguntar se os trabalhadores das lojas, em pe, subindo e descendo do estoque de 14h as 22h pra dormir e começar novamente a jornada, precisa se preocupar em conter a balburdia de centenas de adolescentes que por definição em grupo se tornam inconsequentes e descuidados com o patrimonio alheio? Porque no fim do mês é do ordenado do Vendedor que foi "descuidado" e "permissivo" que sairá a bolsa, o sapato, a roupa, o telefone, o tablet roubado. Esse cara ta errado de não querer ter deficit na sua conta de luz?


Somos TODOS vítimas, e mudar não é fácil. Não sou especialista, não sou porra nenhuma, sou uma mísera estudante de Marketing que irá trabalhar com a demonstração mais suja e irreal - pra quem assim quiser ver -  demonstração de capitalismo: A propaganda que invade a sua casa e faz o seu filho querer o brinquedo que é mais caro do que você pode comprar.
Ainda assim, sou vitima, como você, como o rapaz que apanhou no rolezinho, como o logista saqueado, como o policial que bateu, como o senhor que só queria pagar uma conta na agencia do shopping e ficou acuado e intimidado com a situação.



Será que podemos parar de discutir quem deve ou não deve frequentar o lugar x ou y? Se foi correta ou não a proibição, e focar no real gene do problema: A falta total de atenção aos nossos estereotipados FAVELADOS, a quem ninguém situou, ninguém instruiu e agora querem cobrar.

Estou ansiosa para o Evento: 'Rolezinho no palacio do planalto!', 'Rolezinho na prefeitura", "Rolezinho na Camara municipal" Estou muito ansiosa para que os Rolezinhos comecem a perturbar quem deve ser perturbado, quem se elegeu pra ser perturbado, quem foi votado pelos pais dos jovens do rolezinho porque foi la na viela dizer que eles teriam direito a saúde e educação, QUE JA NAO TEM! Diversão e arte meus queridos, será um caminho a ser trilhado com muitos rolezinhos!

Não desrespeite a opinião, a situação, a realidade e a vontade de mudança do outro. Não perca tempo tentando enquadrar a ação de um ou de outro, vamo voltar ao cerne da questão: Onde está o Gigante com sede de mudanças que havia acordado?