domingo, julho 10

Adoro em 'Filtro Solar', a parte que o Pedro Bial diz:

"Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida
As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam, aos
vinte e dois
o que queriam fazer da vida.
Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda
não sabem."


Lembro como se fosse hoje do ano em que fiz Pré-tecnico: fazíamos projetos, estudávamos o programa, decorávamos questões, existia um padrão para as provas do Cefet e Cefeteq que sabíamos de cor e salteado!

Estudei bastante, passei pra segunda fase do Cefet e não fiz a prova, nem sei bem porque, confesso. Bem, de qualquer maneira, não thavia nenhum curso técnico que eu quisesse fazer, estava fazendo as provas pela simples pressão de fazer o pré-tecnico e passar, porque as pessoas diziam que isso era o melhor pra mim, e numa boa, quando se esta na 8˚Série, o atual 9˚Ano, não há a menor condição se saber o que é melhor para os próximos 3 ou 4 anos sozinho.

Resultado, meu ensino médio foi complicado, saudade do tempo em que a dúvida era fazer curso técnico ou entrar em colégio que visasse o vestibular...

Optei pelo vestibular e foram dois longuíssimos anos até acertar e cair no Intellectus, antes disso,  entre reprovações e falta de adaptação, ficava ainda a dúvida se não deveria ter feito o tal do técnico.



Passei todo o ensino fundamental assistindo e pesquisando sobre propagandas, estava certa de que era o que eu queria fazer o resto da vida, Propaganda e Marketing.

Quando comecei o 1˚Ano do ensino médio, decidi por Psicologia e nada tiraria isso de mim, cheguei ao Intellectus certa de que dois anos depois estaria cursando Psicologia. No inicio do 3˚Ano, voltei ao desejo da Propaganda, "Não adianta, Nasci pra isso!" foi o que eu disse.

Hoje, com 2˚Grau finalmente completo (eu achei que nunca ia acabar!),  vou começar Administração, e espero passar para Filosofia no final do ano, e não pretendo parar, quem sabe não vou emendar em psicologia ou publicidade, ou letras, ou engenharia ou...

Não é fácil, mas existem muitos caminhos pra se chegar, nenhum erro que possa ser cometido nessa escolha, não poderá ser revisto, se você sabe onde esta indo, como vai chegar até la é só a história que contará mais tarde pros que virão.

Se você esta vivendo esse dilema e não sabe bem o que fazer, fica a dica: leia o Post de hoje do Blog de Empreendedorismo do Intellectus , que fala exatamente sobre a dificuldade da escolha profissional...


A difícil tarefa de decidir toda uma vida…
Uma das decisões mais difíceis de um jovem ou adolescente é qual profissão escolher. Costumo brincar que seria muito melhor decidir o que fazer por toda a vida aos 60 ou 70 anos. Imagina como seria exato! Com toda a experiência adquirida, dificilmente erraríamos na escolha profissional! Aí seria só voltar no tempo e passar o resto da vida feliz!
Divagações a parte, vamos ao que interessa… como saber se a faculdade que escolhi é realmente o que quero?