quarta-feira, fevereiro 9

Meu heróis morreram de overdose!





Chega a me dar  calafrios quando acidentalmente e infelizmente ouço Pedro Bial chamar os 15 fanfarrões confinados na mansão global de "heróis". 
Heróis por quê? pra que? pra quem?
Gosto de frisar que acho o BBB uma brincadeira de mal gosto com a minha humilde e esforçada inteligência, mas admito que me diverti nos poucos minutos que assisti essa edição, apesar de ter jurado que não assistiria a nenhum segundo, pude rir bastante das coisas surreais que ouvi em quinze minutos de programa.Sinceramente, não consigo definir se é curiosidade ou esperança de entender porque tanta gente assiste, paga, e alguns vivem junto com o programa.
Em dez minutos de programa, três participantes disseram: "Conta comigo pra sempre, te amo!", e é importante lembrar que eles se conhecem a menos de um mês.
Porém desisti oficialmente quando ouvi um dos participantes dizer: "ElA ganhou o meu respeito, sabia que tinha algo de especial nelE!" se referindo a participante transsexual.
Como? Ganhou o respeito porque é transsexual? Ou por ter assumido isso? Ou por não ter feito nada pra ninguém no tempo que ficou ali? Por ser transsexual merece mais respeito que alguém que não é? Qual é o critério?
Queria entender o que leva uma pessoa a estar em um bar, uma festa, vendo um filme, lendo um livro, ou seja lá o que estiver fazendo, e de repente interromper sua vida pra assistir a eliminação de um participante.
 Ás vezes tenho a sensação de que o cara esta sendo eliminado do planeta, acabou a chance de ser feliz, não terá outra oportunidade, saiu do big brother já era, irá lamentar por isso o resto da vida.
E é bonita a forma como eles choram, como amam, e como são sinceros. O pior de todos os argumentos dentro da casa é: "estou aqui, mas estou sendo eu mesmo!"
Tem outra opção além de ser você mesmo? Em algum outro lugar do seu convívio social você não é você mesmo?  Então é obvio que é pra ser você mesmo! E se alguma das respostas anteriores for diferente do esperado, você tem problemas de personalidade, ai já é outra história, apesar de eu achar que desvio de personalidade é requisito fundamental pra entrar no BBB.
Por outro lado, visto como um jogo, nada mais juntos do que ser um simples peão no tabuleiro e esperar o momento certo para o check mate! 
Sem contar com os mais de nove zeros que entram na conta da rede globo a cada paredão, que esse dinheiro poderia estar sendo usado para outras 'n' situações, e sem dizer que você poderia estar fazendo coisas muito mais úteis durante esses minutos nas suas noites.
Essa semana me perguntaram se eu aceitaria entrar na casa, respondi que não, e caso fosse, seria eliminada na primeira semana se não pedisse pra sair.
Pensando bem: Eu iria, faria complô, criaria panelinhas, eliminaria as pessoas, combinaria votos, me uniria ás pessoas que interessam. Exatamente como faço quando jogo xadrez, totalmente racional, criando estratégias para vencer o jogo.
E antes de comentar que sou ridícula e não tenho sentimentos, saiba separar o joio do trigo, BBB não é vida. É um jogo que vale 1milhão de reais, e ganha quem finge melhor que não esta fingindo, tudo isso, sendo sustentado por você que se “apega” aos participantes e insiste em votar várias vezes pra garantir, você que faz conta pra ir ao cinema no final de semana enquanto eles estão despreocupados vivendo de churrasco, sushi, piscina e festas.
Realmente, eles sofrem muito, é muito difícil sobreviver a tudo isso.
Acho que as pessoas estão com uma idéia muito errada do que é passar dificuldades, fazer escolhas difíceis ou ter amigos, ou todas as outras bizarrices que ouço em época de BBB. Ou então, são os meus valores que estão muito invertidos, e o certo é achar o Big brother normal. Ás vezes quase acredito nessa hipótese! 
Estou esperando alguém me convencer que sou radical e intolerante como ja me disseram, alguém que me conte algo que aprendeu com o big brother, algo que lhes foi acrescentado, que fez diferença na sua vida, se tiver uma experiência conte-me por favor,  mas poupe meu precioso tempo, tenha bons argumentos, pois diante do que esta sendo apresentado, esta difícil de ser tolerante.

Estou lançando uma campanha: Doe um livro pra quem assiste BBB, Por um mundo melhor!