domingo, outubro 10

Tropa de Elite 2, e o povo...

4 meses depois, eu volto, e digo ao povo que fico! rs
O vestibular continua me consumindo. Sem tempo, sem paciência... Porém, mesmo sob pressão, estresse e adversidades, eu declaro por mais contraditório que pareça, o Vestibular é divertido!
Algumas coisas eu considero relevantes o suficiente pra sentar aqui e resenhar durantes longos minutos; Pensei no tal vestibular, mas só me pronunciarei sobre tal acontecimento depois de tê-lo concluído. Há algumas semanas, pensei em escrever sobre política, e achei que não valia à pena, mas ontem o Tropa de Elite 2 despertou em mim alguns sentimentos relevantes e de fato ele merece, minutos e minutos de reflexão...
Acredito que se encontre em uma categoria de poucos filmes na história do cinema nacional que tenham causado tamanho impacto. É uma análise nua e crua da situação caótica que estamos vivendo no Rio de Janeiro, com atuações incríveis, como a de Milhem Cortaz ( Capitão Fábio), André Ramiro (Matias), Sandro Rocha (Russo) e Andre Mattos (Fortunato), entre outros do elenco, a continuação da história surpreendeu, com uma narrativa emocionante e um conteúdo Atual, necessário e bem trabalhado. A Magnífica atuação de Wagner Moura, quase convence de que ele é o nosso herói, a pior parte, é ter que sair da sala escura e saber que todos os dias, capitães, secretários de segurança, governadores e delegados se prestam a papeis tão ou mais sujos quantos os apresentados no filme.
Muito melhor que o primeiro, tropa 2, a principio parece uma história brilhante, com roteiro bem montado, onde tudo se encaixa, o telespectador entra na tela e vive a história até ver os crimes desvendados, de dar inveja até no Jack Bauer! Mas o que torna a narrativa assustadoramente brilhante e completa, é um elemento muito simples utilizado durante todo o filme: A pura e simples REALIDADE.
Quem não identificou algumas de nossas lideranças? Quem não sabe que a milícia tomou conta da "Comunidade do Rio das ROCHAS"? Quem não entende que o que os políticos querem é a aprovação do povo desinformado?
O Fato das cenas terem sido gravadas em lugares que eu e você freqüentamos, nos da a sensação de desespero e ao mesmo tempo o conforto de pensar que mais dia menos dia, surgirá um capitão nascimento pra dizer numa CPI, a verdade na cara de todos os ladrões, corruptos e mafiosos que tomam conta da cidade. Descontamos toda a nossa ira a cada atitude acertada do Capitão nascimento e ao mesmo tempo, despertamos todo nosso medo e risco corrido pelo Beto, o pai, o marido, o cidadão indignado, como todos nós, que fala o que todos sabem, que enxergou além dos esquemas escancarados nos ambientes de poder, mas não é ouvido. José Padilha nos faz ao longo do filme chegar simultaneamente com Nascimento a conclusão que é fácil de chegar, e difícil de combater: O povo que se dane, a verdade não rende votos!
Usando uma frase do primeiro Tropa: "é o sistema combatendo o próprio sistema" é e vai ser por tempo indetermidado, também por termos no poder lideranças esdrúxulas interessadas somente em suprir seus interesses próprios, mas principalmente, será assim, enquanto o povo se contentar em ser alimentado por novelas e informações da imensa mídia tendenciosa a dar mais poder a quem já o tem.É Fácil, manter o povo ignorante, o mercado de votos, de cargos e de malas e malas de dinheiro sujo que entram e saem da minha, da sua, da nossa conta, da nossa casa!
O verdadeiro tráfico, nós alimentamos todos os meses, os maiores bandidos, NÓS, sustentamos a champagne, sushi e gravata alinhada, os maiores bandidos, são os que recebem os nossos impostos!
Confesso que tropa de elite nesse pós eleição deu uma acalmada nas minhas fúrias, pude me sentir outra vez parte de um grupo que pensa e se encontra observando estagnado as merdas que temos que nos submeter todos os dias! Tenho certeza que o Senhor governador eleito Sergio Cabral e companhia, assim como todos os outros eleitos, assistirão ao filme como uma brilhante obra de ficção, visto que algo parecido jamais aconteceria no governo deles. Lamento muito o fato de o filme não ter sido estreado antes do primeiro turno, pelo menos teria causado no eleitor uma maior reflexão sobre o sistema e o poder que possui na urna.
O Tropa 2, lavou minha alma, e ao contrário do que muitos estão sentindo, sai mais leve do cinema, com a ilusão de finalmente ter a mídia a favor do povo. Contudo, penso agora que sair mais aliviada do cinema possa ser MUITO, MUITO perigoso! Há o risco de descarregarmos nossas frustrações dentro do cinema e sair de lá esperando que o Capitão Nascimento resolva nossos problemas. Nossa segurança, nosso futuro, nossa educação, não podem ser tratados como uma obra de ficção! Espero que as pessoas sintam o pesado e violento tapa na cara que o filme propõe, e que percebam que quem esta ‘no saco’ somos nós! Espero que esse sentimento permaneça em todos durante esse clima de segundo turno, e se não for exigir demais, ate as próximas eleições.
Aos que ficarão por ai APENAS repetindo "Quer me fuder, me beija!", assim como repetiram "bota na conta do papa!", vocês não entenderam NADA, e provavelmente vão eleger nas próximas eleições alguém que vai rir sem te fazer rir! Quem sabe as eleições seriam melhores se e cada zona eleitoral exibissem cenas do ‘Tropa de Elite 2’ na fila da urna. O risco seria ter 100% dos votos anulados...