terça-feira, novembro 3

Conflitos

“ Você não se cansa não? Nem fica triste? Caramba, eu queria ser igual a você!” após ouvir isso dei um sorriso, e continuei, caminhando, enquanto caminhava, me lembrei da sublime frase que meu queridíssimo Caio Fernando Abreu disse em uma carta aos pais : “Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos,dos choros." E me senti exatamente como ele, e eu nem sei se esse sentimento é bom.

Hoje por exemplo, levei meu dia, minuto após minuto, segundo após segundo esperando uma ligação sua, mas isso ninguém soube só souberam de meus estudos, souberam de minhas vitórias, ate de mirras derrotas, as que encarei sorrindo, souberam que andei, que venci, que cheguei, mas não sabiam que eu esperava desesperadamente uma ligação sua, ligava e desligava o telefone, o seu numero passou milhões de vezes pela minha cabeça, mas ninguém viu que fui forte o suficiente pra não ligar, ensaiei sozinha um discurso convincente pra você largar tudo e vir me ver, embora eu saiba que caso você me ligue, eu vou dizer apenas a verdade com a voz tremula, porque não consigo mentir pra você!
E ainda ouço que querem ser igual a mim. É verdade, minha dor não é maior que a de nenhum outro ser humano, nem menor, cada dor é uma dor, cada dor é única, e penso eu que todos tem alguma, se a minha não fosse minha, seria a sua, e vice-versa, não sabemos ate quando o cara sorridente e incansável vai se cansar de sorrir e mostrar ao mundo suas dores, dores são dores, não importa em quem , ou em que tempo.

Eu achei que hoje quando você me ligasse iria resolver todos os problemas, e quando você ê ligou, dizendo que não vinha, que não podia, que não ia dar, eu desabei de novo, disse que tudo bem, pra você também não suspeitar, depois arranjar uma desculpa qualquer e pensar que eu não ligo pros seus furos. É, da trabalho essa arte de evitar conflitos. Mas eu vou levando, vou vivendo, a cada conflito evitado menos um conflito pra resolver.

Como assim? Você quer saber o que eu faço com os conflitos que evito? Bem, teoricamente eles ficam resolvidos, mas a verdade é que eu faço uma troca, evito o desgaste com as pessoas, evito conflitos externos, os internos eu resolvo sozinha depois , no meu quarto ouvindo musica alta, berrando, chorando, seja La como for, mas ai cabe a mim resolver, quanto menos gente envolvida no problema, melhor.

A tática é boa, mas é falível, o bom é que se falhar, vou dar um jeito de resolver isso sem conflitos!